Make your own free website on Tripod.com

A (auto) manutenção do aquário nas férias

   

Por: João Silva

   Obviamente que o ideal será sempre ter alguém em quem confiar e tentar seguir a correcta manutenção do aquário, desde dar a comida certa nas quantidades certas, verificar a temperatura da água, o ligar/desligar das luzes, ou até uma eventual mudança de água, retirar algum peixe que morra ou a utilização de medicamentos em caso de doença, embora para este último exemplo já serem necessários conhecimentos mais profundos de aquariofilia.
   Se tal não for possível, então pode optar por seguir estes simples conselhos:

   Comece alguns dias antes a verificar se todos os equipamentos técnicos estão a funcionar correctamente.

   - Ligar / Desligar das luzes: Utilize as tradicionais tomadas com relógio e interruptor automático. Dê preferência aos analógicos, pois os digitais têm mais tendência para avariar. Se já utiliza este sistema durante todo o ano, basta manter a mesma configuração horária. Se não, configure-o para as mesma horas em que costuma ligar e desligar.

   - Aquecimento (ou a falta deste): Verifique se a resistência de aquecimento está a funcionar correctamente, e deixe-a regulada para a temperatura correcta para os seus "hóspedes". Também existe o problema de uma eventual falta de energia eléctrica, e para caso isso aconteça, se a sua casa tiver tendência para ser fria, deixe o aquário coberto com um cobertor, tendo o cuidado para que este não toque em qualquer tomada eléctrica, nem qualquer outra possível fonte de ignição, o ideal será mesmo prendê-lo apenas à volta do vidro, para que o calor das lâmpadas se dissipe correctamente. Atenção: como estamos no verão e obviamente a maioria das casas estão quentes, este procedimento do cobertor só deve ser mesmo aplicado às casas mesmo muito frias.

   - Filtragem e oxigenação da água: Faça uma muda de 30% a 50% de água, três dias antes da sua partida, conjuntamente com uma limpeza completa ao aquário, incluindo aspiração do areão e a limpeza do(s) filtro(s). Estes devem ser limpos muito cuidadosamente para não destruir as bactérias do ciclo. Se já tem carvão activado há algum tempo, talvez seja a altura ideal para o renovar.
   Como se sabe, alguns peixes têm tendência para stressar, podendo mesmo deixar de se alimentar e adoecer, após as mexidas necessárias durante a limpeza. Daí não ser bom fazer a tal limpeza muito em cima do dia ou hora da partida, para poder verificar que tudo fica em perfeito funcionamento.
   Se usa uma bomba de ar para oxigenar (mexer) a água, verifique o seu estado de funcionamento bem como a pedra difusora. Se utilizar o repuxo do retorno de água do filtro externo para criar o movimento à superfície da água, verifique se os buracos do jactos não estão já entupidos ou a criarem algas que os poderão entupir.

   - Nível da água: Ao encher o aquário, faça-o até atingir o limite máximo no topo, para compensar as evaporações.

   - Alimentação: Para a maior parte dos aquariofilistas com menos experiência, este é o problema que levanta mais dúvidas ou problemas, a quando da partida para as férias. Mas se seguirmos umas simples regras, não haverá qualquer tipo de problema.
   Se apenas se ausentar por um período máximo de sete dias, poderá optar por não deixar qualquer tipo de alimento no aquário, pois os peixes frequentemente nos seus habitates naturais, também têm estes períodos de jejum. No entanto, se for por períodos superiores ou até mesmo quiser ficar descansado que os seus peixes não morram à fome, pode optar pela utilização de um alimentador automático a pilhas. Estes aparelhos, se forem de uma boa marca, são seguros e garantem sempre a mesma quantidade (regulável) de comida. Alguns dispõem de um sistema de vácuo, que evita que a humidade seque a comida, o que poderia fazer com que esta deixasse de cair ou cair "em bloco" numa maior quantidade.
   Existem também no mercado uns blocos de alimento especiais para as férias, mas deve-se evitar a sua utilização. As razões são que, há sempre a possibilidade de um peixe maior os devorarem em pouco tempo, o que para além de lhe provocar uma sobrealimentação, também vai acabar por não haver comida suficiente para o resto dos dias. Outro problema é que a temperatura elevada, ou, uma corrente mais forte na água pode originar a rápida dissolução desse tipo de blocos, o que poderá provocar a poluição. Mas mesmo assim poderá optar por este tipo de solução, bastante mais económica, caso não esteja interessado em despender algum dinheiro no alimentador automático.

   Por último, e caso tenha optado por fazer toda as verificações e a manutenção antes de sair, e queira confiar a alguém a tarefa da alimentação, não se esqueça de avisar para o perigo da sobrealimentação. Pode também optar pelo método dos frasquinhos, deixando as correctas doses diárias repartidas por vários frascos. Também pode dizer a esse colaborador que não necessita de ir a sua casa todos os dias, pois se apenas alimentar os seus peixes de dois em dois, ou até três dias, sempre será melhor do que estarem quinze dias ou até mesmo um mês inteiro sem comer. Agora não tente é compensar ao dar comida em excesso nos dias que lá for...

   Resta-nos desejar umas óptimas férias: a si  e aos seus "bichinhos de estimação" :)))

 

Observação: este texto foi publicado na íntegra, e trata-se de português de Portugal, no qual não foram feitas alterações para o português do Brasil.

 

Mapa Completo do Site

1